segunda-feira, 25 de novembro de 2013

O avesso às vezes dá certo

Por Jullyana B.


 Des.te.mi.do: Que não tem medo; que é valente ou corajoso.



Se vocês querem saber, eu cansei. Cansei de ser assim, tão neurótica e de tentar ser perfeita. Cansei dessa mania de querer ter o controle de tudo e no final terminar perdida. Cansei da bagunça na minha vida e da confusão que tudo se tornou. Sabe qual o meu problema? Ser 8 ou 80. Não sei o que é o equilíbrio: ou eu confio demais, ou não confio é nada. E ultimamente ando assim, fria e desacreditada.

Eu não sei se arrancaram meu coração, mas eu sinto ele congelado. Nessa mania de querer cuidar de mim e de me proteger, deixei de ver o lado colorido das coisas e tudo que eu enxerguei nesses últimos dias foi uma massa cinzenta no céu. Acreditar demais é certeza de sofrimento, mas e não acreditar nunca? E desconfiar de qualquer pessoa com uma boa intenção? Agora você me diz, e dá pra viver assim? Um dia me disseram que a vida é o que a gente faz dela, e eu me indago: o que eu tenho feito? Reclamado, sentido medo, colocado obstáculos. Ai, essa maldita mania de pensar no fim antes mesmo de começar algo!

Não quero ser o tipo de pessoa que não vive por medo de sofrer. Lágrimas fazem parte da vida! Chorar as dores é expelir tudo que há de ruim em nós, para então, crescer. Odeio a ideia de me limitar à ser essa pessoa que tenho sido. A intensidade sempre foi meu sobrenome, a liberdade sempre me fez a cabeça. Talvez eu tenha me perdido no caminho, mas faz favor, se você achar minha identidade, me devolve? É porque assim não tá dando mais. Quero sorrir de verdade, amar por completo, ser minha e de quem mais quiser. A hora da despedida sempre chega, isso eu sei, mas não vale a pena sofrer antes do fim.

O “pra sempre” não existe, as pessoas não são 100% boas, nem todo “eu te amo” é sincero, alguém vai mentir pra você ainda hoje e você não vai ser feliz o tempo todo. Tá, mas e daí? Quem disse que eu quero perfeição? Eu só quero a intensidade infinita de um milésimo de segundo. Afinal, pra que manter os pés no chão sempre, se fomos feitos pra voar?




3 comentários:

  1. Olá, acabo de visitar seu blog e segui-lo. Lhe desejo foco, sucesso e força. Que conquiste muitas realizações através do mesmo. E também convido você e seus/suas leitores/leitoras a conhecer o meu blog: toobege.blogspot.com.br . Beijinhos e espero você lá também *0*

    ResponderExcluir
  2. Nem que dure, nem que seja eterno, se me trouxer felicidade já valerá a pena.
    Concordo com você, acho que as lágrimas fazem parte da vida, afinal, se elas não existissem como iriamos valorizar os sorrisos?
    Adorei o texto!

    Acorda Paola // Oficial

    ResponderExcluir